quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Orbis

Em defesa de Julian Assange

opiniao | 8 Dezembro, 2010 - 00:00 | Por Tomi Mori
 
Nenhum homem neste planeta tem enfrentado uma luta tão desigual.
Nenhum homem tem sido mais perseguido neste planeta do que Julian Assange.
Nenhum homem neste planeta tem enfrentado uma luta tão desigual com adversário, ou inimigo, tão poderoso como o governo americano, liderado por Barack Obama.
Um ataque moral, pois está a ser acusado e preso por ter cometido violência sexual, coisa que nega.
Um ataque político, já que é acusado de ser terrorista, sem ter sequer levantado um dedo ou disparado algum tiro.
Um ataque e guerra tecnológica, cibernética, já que o site que dirige, Wikileaks, está a ser atacado violentamente por hackers, que não saem à luz para dizer a que interesses defendem. Mas impedem que a opinião pública mundial possa aceder as informações.
Uma guerra que forçou o Wikileaks, um pequeno e valoroso exército, a bater em retirada das terras americanas, onde foi perseguido e impedido de existir de maneira totalmente arbitrária e sem que se pudesse defender.
Qual o crime de Julian Assange? Colocar à disposição de toda a população do planeta a verdadeira face dos déspotas e hipócritas que lideram todos os países existentes na face da terra. A publicação da correspondência secreta da diplomacia americana teve o mérito de desmascarar de vez uma coisa que todos sabíamos, mas não podíamos provar. Seria isso um crime? Seria isso terrorismo?
Defender Julian Assange é defender o nosso próprio direito a conhecer o que realmente fazem os homens e mulheres que dizem representar-nos.